Regredir não é problema, o problema é não atender

A informatização e automatização dos serviços não é novidade e já ocorre há muito tempo. Exemplo disso são lojas, prestadoras de serviços e até orgãos públicos utilizarem sistemas (softwares) específicos para sua atividade. 

Exemplos? O DETRAN é um desses estabelecimentos que contém um sistema de controle de emplacamentos, geração de novos números para placas, multas, controle de pagamentos de IPVA, Seguro etc. Ou seja, toda a vida de milhares de veículos estão armazenadas e a mercê de um sistema. Sim, a mercê, pois quem nunca se deparou com a desculpa "o sistema está lento" ou "o "sistema está fora do ar". 

O contribuinte e cliente hoje em dia está fadado a se render aos caprichos das máquinas, que por vezes são tão temperamentais quanto um ser humano. E muitos seres humanos tiram proveito disso, usando como desculpa para sua falta de vontade ou de agilidade colocando a culpa no sistema, dizendo que ele é que está lento. 

Até o site da Caixa Econômica Federal, já relatado aqui, ficou indisponível por um sábado inteiro e isso sem aviso antecipado, impossibilitando várias compras e pagamentos através do cartão de débito, por exemplo. A culpa é de quem mesmo? Do sistema ou da pessoa responsável pelo funcionamento do mesmo? 

O engraçado é assistir ao caos que um "simples" sistema causa. Mas espera um pouco, COMO eram feitas as coisas ANTES do sistema aparecer? As pessoas souberam "progredir" automatizando e informatizando os processos. Ok, ganhamos em praticidade, mas perdemos em disponibilidade. E o engraçado é que ninguém sabe fazer o caminho inverso, como se esquecessem o caminho já percorrido e que ficou para trás. 

É preciso saber contornar as "falhas do sistema" e mais que isso, atender ao cliente. E não há vergonha nenhuma em anotar o pedido manualmente, preencher um bloco de notas, pois o que ele quer é SER atendido e FINALIZAR com êxito o propósito que o levou até determinado local.

Vanessa Paiva

Aficcionada por tecnologia e tudo mais que for prático e funcional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário